Fracking Polêmica Energética

Polêmica energética – fracking no Brasil

O fracking ou fraturamento hidráulico é considerado um dos processos de produção de energia mais ambientalmente agressivos e está proibido em vários países do mundo.

Fracking e o gás de xisto

A pressão da água injetada no subsolo com mais de 500 componentes químicos (alguns radioativos) faz o metano se desprender das frestas das rochas.

Antes da injeção desse coquetel químico são realizadas violentas explosões, que fraturam e fracionam as rochas sedimentares, um método que não pode de forma alguma ser chamado de “explosão controlada”.

Fracking e o lado negro da indústria do petróleo

Como se sabe, com a lenta substituição do petróleo como fonte combustível que move o mundo, os combustíveis fósseis mentém-se vivos, mas com o lucro líquido de sua exploração descrescente.

Agora que a maioria dos poços secou, a tecnologia fratura o subsolo em busca de combustível residual. No país, as plataformas avançam para o mar aberto e para as profundezas do pré-sal brasileiro, onde habitam os sonhos e o devaneios da geração fossil fuel, uma energia de difícil acesso, cara e complicada de gerenciar.

Apesar das denúncias, das inúmeras reportagens e documentários sobre o tema, os países que dependem dessa fonte energética, em nome da independência energética, acabam por fazer de tudo – até mesmo ameaçar a vida de cidadãos – para ganhar tempo. O lobby da indústria bilionária do petróleo – uma indústria notavelmente poluente – nada mais quer do que dar sobrevida ao seu status quo.

Fracking, as doenças e a contaminação dos aquíferos

O principal risco ambiental do fracking é a contaminação dos lençóis freáticos e dos aquíferos. Como se sabe, na dinâmica desses aquíferos, há uma boa impermeabilização que garante a taxa de recomposição das reservas de água, filtradas naturalmente pelo terreno acima. Com o fraturamento das rochas no entorno, nada impede que a água contaminada vaze pelas fissuras e chegue ao reservatório, contaminando o que a natureza levou milhões de anos para formar e manter.

Na reportagem do programa Cidades e Soluções, da Globonews, filmada nos EUA, jamais esqueci a denúncia das famílias afetadas com quadros febris e doenças de pele até então desconhecidas, que vinham sendo subornadas para manterem o silêncio, sob alegação de que não se podia provar inequivocamente a culpabilidade da indústria. Na mesma reportagem, uma cena impressionante: a moradora risca um fósforo e a água do riacho nas redondezas pega fogo, tamanha a contaminação pelo metano.


Fontes:

Tecnologia | Ameaças:
Energia polêmica – a ANP e o fracking, por Délcio Rodrigues. Vitae Civilis;
Cada vez mais em uso, fracking tem prós e contras, Terra, 21.3.2013;
Brasil quer usar fraturamento hidráulico para explorar gás de xisto, DW.de, 13.5.2013;
Exploração de gás de xisto no Paraná preocupa ambientalistas, por Marco Aurélio Weissheimer, Carta Maior, 19.11.2013;
Greenpeace pede fim da exploração de gás por ‘fracking’ no Brasil, por G1. 28.11.2013.

Legislação | Banimentos:
Fracking é proibido na Escócia, por Fracking Não Brasil, 30.1.2015;
Alemanha impõe regulamentos muito estritos para o “fracking”, que fica totalmente proibido em áreas de risco para a água potável, por Portal PCH, 2.4.2015;
9 countries or regions that ban fracking, por Petro Global News, 14.10.2013.

Documentários | Reportagens | Cinema:
Terra do Gas I e Terra do Gas II (Gas Land I e II, EUA, 2010 e 2013);
Prós e contras do fracking e gás de xisto (Globonews, BRA, 2013);
A Terra Prometida (Promised Land, EUA, 2012).

Alexandre Mello

Multitarefas │ digital por formação │ pós-graduado por convicção │ empreendedor social │ autor │ conteudista

Buscar