C
C

Internet aberta faz 20 anos no Brasil

Poucos sabem que os anos de 1994/1995 marcam a passagem da internet provida exclusivamente pela Embratel para uma Internet provida por vários operadores privados, os provedores, fundamentais entes de mercado que possibilitaram a expansão da web no país, marcando assim o início da internet aberta no Brasil.

Internet aberta – a banda lerda

Lá por volta de 1998/ 1999, quase ninguém era digital, não ficávamos online. Entrar na Internet (apertar aquele “ícone” no desktop) era vez ou outra. Você esperava dar meia-noite para fazer a conexão do dia, o barulho clássico do modem 56 kbps discando para a operadora “piii-toin-toin-toin”. Era baixar todos os emails e desligar a conexão. As companhias telefônicas cobravam por pulso (1 puso = 4 minutos), e a partir da meia-noite, durante toda a madrugada, só contabilizava um pulso. Plano ilimitado nem pensar!

Internet aberta – a banda larga

A partir da bolha ponto.com, lá por volta dos anos 2000/ 2001, começa a se disseminar a banda larga nas capitais. No interior e nos bairros afastados, a cobertura era feita por empresas locais, que compravam os raros links de internet disponíveis nas pequenas cidades, e faziam a redistribuição do sinal até chegar nas casas, provendo acesso por rádio, relativamente barato e fácil de instalar. Mesmo as companhias telefônicas melhorando a cobertura por fibra ótica, a quantidade de pessoas com acesso 1 mega – a banda larga da época – era bem limitada.

Algo que impulsionou a banda larga, lá no início, foi a privatização do sistema Telebras em 1998 por FHC. Com a injeção do capital privado, havia necessidade de melhorar o serviço que estava sucateado e ganhar o mercado. As empresas começaram a substituir as velhas centrais comutadas pelas novas centrais digitais, e a velha telefonia vai dando lugar a novos entroncamentos digitais no backbone dos estados. Esta expansão da fibra ótica não deu da noite para o dia, mas também não parou mais, hoje chegando aos principais bairros e zonas densamente povoadas do país.

Internet aberta – o acesso 3G

Até 2010/ 2011, a internet móvel era sofrível, haviam muitas zonas de sombra nas cidades, onde o sinal não pegava. Os aparelhos eram pesados, tinham de ter potência extra para alcançar as poucas torres. O ano de 2011 marca o começo da popularização dos aparelhos de smart phones, do acesso 3G e dos planos de R$0,99 por dia de conexão.

Internet aberta – rede de pessoas

A transformação da tecnologia muda não só os comportamentos, muda a estrutura de sociedade, e muda a estrutura das empresas. Nesses 20 anos de internet no Brasil, já contabilizamos zilhões de postagens, tweets, uploads, já contabilizamos mais de 1 dezena de revoluções, já estouramos meia dúzia de bolhas econômicas e já encurtamos todas as distâncias.

A maior prova que a Internet aberta é fundamental: agora que a Terra é flat e você é hiper(conectado), saberia voltar a viver sem ela?

#ainternetmundouomundoparasempre
#sejavocêamudançaquequervernomundo
#internetéinstrumento,humanosapertambotões


Fontes:
Privatização da Telebras,
História da Internet BR

Alexandre Mello

digital por formação │ pós-graduado em educação a distância │ curador de acervo audiovisual │ produtor executivo │ documentarista │ autor │ conteudista

Buscar