Felicidade E Inteligencia Emocional

Felicidade e inteligência emocional

Post Series: A ciência da felicidade

As atitudes e a postura perante a vida e a profissão – competências emocionais, intrapessoais e interpessoais – podem ser desenvolvidas, melhoradas. É tão ou mais importante que uma competência técnica isolada.

O que é Inteligência emocional?

O Estudo da inteligência emocional reflete, sobretudo, o estudo das interações entre emoção e inteligência, o que nos permite inferir a complexidade do campo conceitual. A inteligência emocional é dividida em:
a) intrapessoal – tem a ver com o conhecimento das emoções, talentos, metas. Tem a ver com o conjunto de experiências e saberes introjetados — e não teóricos — muito significativos para melhorar o comportamento e a qualidade de vida.
b) interpessoal – que é o relacionamento com o outro, como perceber o outro, como falar com ele. Trata, enfim, da complementaridade “eu” e o “outro”.

Inteligência emocional e planejamento de vida

A pessoa inteligente emocionalmente tem a capacidade do autoconhecimento, tem seus pontos fortes e talentos mapeados, ela sabe quem ela é, e através de metas, ela honra quem ela é. As situações vão acontecendo, mas quando há o autoconhecimento, tem-se mais facilidade de observar o comportamento do outro e falar o que é necessário na hora certa e saber parar na hora certa também.

As metas na vida são aquilo que se pretende realizar. Quem não tem metas, fica a mercê das metas colocadas por outrem: família, amigos, chefes. Para definir bem as metas, é preciso autoconhecimento, conhecer os seus valores. Do contrário, o que pode acontecer é que ela vai viver uma vida que não é dela, que é a cultura que coloca o que é certo, ou os pais que colocam o que é certo.

E estabelecer metas de maneira equilibrada em cinco áreas da vida: trabalho, patrimônio, saúde, laser e afetiva. O objetivo do planejamento de vida é realizar mais, e não ficar apagando incêndio. Como afirma Portella, “na sociedade as pessoas não vivem, sobrevivem”. Quando não se tem planos, a vida faz com que as coisas aconteçam. A pessoa não vive, fica apagando incêndios.

Como desenvolver a inteligência emocional?

Na medida em que desenvolver a inteligência emocional é aumentar o autoconhecimento, cabe vivenciar os métodos e estudar os conhecimentos para melhorar sua manifestação e vida plena.

A Psicologia Positiva é recomendada para todas as pessoas que sentem necessidade de conhecer e desenvolver suas habilidades. Se a vida é uma linha reta, que tem o zero no centro, a esquerda -1, -2, -3 e a direita 1, 2, 3, a maioria das pessoas está no zero, ou seja, com ausência de doença. Mas ausência de doença não significa qualidade de vida.

Quem está passando por uma depressão, por exemplo, pode sair dela (voltar ao zero), utilizando métodos terapêuticos convencionais, mas sua vida pode ser totalmente sem graça. O que a Psicologia Positiva faz é tentar fazer com que esta pessoa vá do zero para 1, 2, 3 em diante, passando pelos estágios da potencialização primária e secundária.


Fontes:
Mônica Portella, entrevista ao Programa Sem Censura. TV Brasil, 2010.
Mônica Portella falando sobre inteligência emocional no programa mais você. Psi+, 26.3.2014.

Alexandre Mello

digital por formação │ pós-graduado em educação a distância │ curador de acervo audiovisual │ produtor executivo │ documentarista │ autor │ conteudista

Buscar