Como Recuperar A Saúde Financeira

Como recuperar a saúde financeira

Post Series: Saiba como sair de qualquer endividamento

O primeiro passo para quem perdeu a saúde financeira é não se desesperar. Lembre que seu credor perderá sem o seu pagamento, e terá interesse em negociar uma saída contigo, para evitar a todo custo a inadimplência.

Não tome mais empréstimos

De início, procure negociar com seus credores, e não sair tomando mais empréstimos. Apesar de um novo empréstimo parecer uma solução rápida para cobrir o rombo na conta, e já que vivemos tempos de juros nas alturas, manter-se endividado acumulando mais juros é uma péssima estratégia.

Atitude racional

Sentar para negociar, em um cenário de dívida que se arrasta, de cabeça baixa, remoendo a culpa que pode não ser só sua, é derrota certa. Procure o credor de cabeça erguida, disposto a solucionar o problema. A atitude: nada pode te impedir de retomar a saúde financeira.

Mas antes, faça seu dever de casa. Olhe seu salário e calcule um novo valor mensal da prestação com a qual pode realmente se comprometer, e não a que gostaria de se comprometer. Assuma suas limitações e esteja comprometido em sanar a economia doméstica. Credores inteligentes apoiarão essa atitude!

Vá pessoalmente aos locais onde vai negociar

É fundamental encarar de frente os problemas da vida adulta. Se quiser levar alguém de sua confiança, leve, mas não é para ficar discordando e discutindo entre vocês na frente do credor. A estratégia de como negociar exige firmeza e foco. Procure diretamente a pessoa que lhe cedeu o crédito, ou representante por ele indicado. Fuja de intermediários que vão te fazer se desgastar sem poder resolver o problema. Procure os chefes, procure quem decide.

A Negociação

Saiba que está em vigor no país a lei que autoriza e regulamente a portabilidade da dívida bancária. Como na portabilidade da telefonia e na portabilidade do plano de saúde, você tem o direito de negociar com outros Bancos um juros e uma condição de pagamento mais favorável.

Não existe negociação que seja boa somente para uma das partes. Isso vale para você também, por isso a autoestima é tão importante. Parta do princípio que os juros no Brasil são abusivos, e os Bancos e as Empresas sabem disso.

Nas negociações que envolvem risco de inadimplência, a margem que esse credores têm para negociar é salvar o principal da dívida, reduzindo ou mesmo zerando esse custo monetário embutido no empréstimo ou na compra que você fez.

Em outras palavras, o que você quer é um credor que reduza a “gordura” da sua dívida, que são os juros compostos, as multas, o alto risco da inadimplência, as taxas e outras cobranças “extras”. Por outro lado, você voltará a pagar, só que dessa vez um valor bem menor na prestação e, talvez, por um período mais alargado. Ao fim, o desafio de negociar com credores é encontrar alguém que confie em você, que te reduza valores e te permita enxergar a luz ao fim do túnel.

Cair na armadilha dos juros abusivos não é o fim da linha. Considere fazer a portabilidade bancária, mas aprenda com seus erros. Faça um orçamento. Reveja suas prioridades de compras. Aprenda a dizer não. Quebre o cartão de crédito enquanto não souber usá-lo. Tudo é válido, o importante é manter a saúde financeira e dormir em paz.

Alexandre Mello

Multitarefas │ digital por formação │ pós-graduado por convicção │ empreendedor social │ autor │ conteudista

Buscar