Educacao De Superdotados

Como educar crianças superdotadas?

Crianças superdotadas requerem ser compreendidas de per si, e isso muda tudo na educação. O desafio único exige uma adaptação das famílias e das escolas já que essas crianças têm habilidades incríveis em campos específicos desde muito jovens.

Crianças superdotadas e talento precoce

Uma criança que lê aos 2 anos, resolve problemas complexos de matemática aos 5 ou passa no vestibular aos 10 está bem acima da média. A dotação excepcional para a música, ciência, literatura, arte, matemática ou qualquer outro campo de estudo pode criar uma frustração com relação aos demais campos da vida, onde o desempenho não será o mesmo.

A inteligência potencial precisa ser canalizada, porque a vida exige muitas superações, em muitos campos. O enorme talento direcionado a um único aspecto pode virar um grande problema, se a ênfase for perniciosa ao ponto de obscurecer os demais.

Crianças superdotadas e expectativas

Embora a genialidade artística ou intelectual possa sinalizar uma vida bem sucedida, os superdotados correm o risco de não suportar a pressão, ou sofrer de ansiedade na busca por suas realizações, que podem ou não estar ligadas ao talento em destaque, e isso pode levá-los a não ter uma infância normal.

Quando “alguém” de 8 anos de idade está compondo sinfonias ou explicando a física quântica para você, é difícil enxergá-la como criança. O tempo gasto estudando em uma biblioteca é também o tempo que essa criança deixa de estar no parque, cultivando amizades “normais”. Mas não se assuste, pois a biblioteca pode ser tudo o que deseja, o habitat natural para ele(a).

Crianças superdotadas e competitividade

É possível a uma criança prodígio conseguir equilibrar sua genialidade natural com uma infância feliz? Sim, desde que seus pais não queiram que essa criança assuma uma vida que não lhe pertence.

Na educação de superdotados é comum o desinteresse por tudo aquilo que segue apenas o ritmo “normal” das coisas e do mundo. Seus interesses se antepõem ao tempo convencional. Sua mente voa rápido e longe. Isto quer dizer que nem tudo lhes motiva, então a pior coisa é querer igualá-los aos demais. Isto seria um desserviço.

Crianças superdotadas e sociabilidade

A genialidade não pode ser uma desculpa para uma vida na toca ou isolamento social. Ou ao contrário, a criança virar um bibelô que os pais exibem publicamente. Há pais que exploram seus filhos, a contragosto, em concursos de talentos. O ponto é saber se a criança está madura para dar o passo, se deseja a experiência, ou se está lá para “agradar” alguém em casa.

O verdadeiro presente que os pais e professores podem oferecer é primeiramente reconhecer a condição das crianças superdotadas, e atuar para mostrar formas produtivas de se relacionar com os demais campos da vida. A técnica é deixar o traço-força puxar os traços-fracos, para que não haja a solidão da genialidade.

Uma palavra final: criar filhos, em qualquer condição, exige muito trabalho, paciência e esforço. Os pequenos não vem com “manual de instrução” -– e o que funciona numa família já não funciona bem na outra. Se você é pai, mãe ou se conhece alguma família, recomendo a releitura. Espalhe o bem!


Fontes:
Perguntas e Respostas sobre Superdotação,
Lixão dos talentos, superdotação e Reformas Educacionais,
Acelerar estudos de superdotados ainda é raro e difícil para escolas

Alexandre Mello

Multitarefas │ digital por formação │ pós-graduado por convicção │ empreendedor social │ autor │ conteudista

Buscar