Reflexoes Sobre O Trabalho Parte1

As dimensões do trabalho

Post Series: 10 refexões fundamentais sobre trabalho

Se seu trabalho não te engrandece a alma, você precisa se mexer. Faço as provocações para que o leitor possa situar-se perante suas reflexões e até as angústias mais comuns sobre o tema. Ao trabalho, então. Com trocadilho 🙂

1- À propósito, trabalho vs emprego

Trabalho é o que você faz, é um serviço que você presta ao governo, às empresas ou a um cliente. Trabalho pode ser no campo, na cidade, diurno, noturno, solitário, em equipe, por tarefas, por projetos. Ao realizá-lo, você recebe recompensas, é reconhecido, desenvolve seu potencial. Os ganhos são sociais, psicológicos e materiais.

Emprego é pra quem você trabalha. É um mecanismo de ocupação do tempo legitimado socialmente, através de contrato formal entre as partes, exercido por período de tempo definido, carteira assinada, com ou sem vínculo de exclusividade empregatícia.

O paradigma do trabalho único, para a vida toda, está distante para aqueles que procuram melhorar e se reciclar. Ao longo da uma vida, muitos podem ser os intercâmbios, aprendizados, atividades e empregos. É preciso saber onde se quer chegar.

2- Dimensão financeira do trabalho

Há dúvidas quanto ao valor que a realidade material deveria ter em nossas vidas. O trabalho colabora para reforçar a identidade pessoal. Tem inclusive o poder de imortalizar as pessoas que deixaram rastros positivos.

dimensao_financeira_do_trabalhoO trabalho digno, relevante socialmente, independe de ser remunerado ou não, voluntário ou não. A contrapartida material não é pré-requisito da qualidade, do esforço ou do carinho. O trabalho começa a se tornar indigno, socialmente oneroso, quando só uma das partes é beneficiada.

Lembremos as etimologias: “salário” um punhado de sal. Na Roma Antiga, os soldados recebiam uma espécie de pagamento em sal pela bravura e fidelidade. “trabalho” tripalium, um instrumento romano de tortura.

Patologias das relações trabalhistas

– trabalho escravo (um anacronismo pré-medieval, ainda vigente em certos cantos);
– péssimos salários (equivalente moderno ao trabalho semi-escravo. Muitos deveres e poucos direitos);
– pisos salarial (nivela por baixo, trata os desiguais como iguais)
– ambiente insalubre ou cultura organizacional pouco sadia.

3- Dimensão social do trabalho

A revolução da informação

A revolução da informação distingue o trabalhador do século XXI. Quanto mais informação disponível, mais pessoas mudam o padrão de exigência, refletindo-se nos graus de ocupação aceitáveis. O mais humilde operário na construção civil moderna está mais informado e preparado tecnologicamente que seus avós e bisavós o foram. O morador da periferia de hoje pode bem ser o bolsista universitário de amanhã. Há condições materiais para esse avanço.

Desafios da empregabilidade em massa

O Brasil vive um déficit tecnológico crescente de 20%/ano. Isso ocorre por dois motivos: vagas de emprego de maior qualificação não preenchidas por insuficiência de perfil profissional — ponto negativo para a educação brasileira — e redução de postos de trabalho na indústria, seja por ineficiência no custo Brasil, seja pela competição dos importados — ponto para a China.

Desenvolver tecnologia não é barato e exige um choque de inovação na formação curricular. Sem falar no pacto federativo que possibilite à verba da educação, via estados e municípios, chegar aos rincões deste país. O pernicioso é a locomotiva capitalista abandonar tantos trabalhadores — onde está o plano B senhores empresários? — atribuindo ao sistema educacional e aos governos a baixa escolaridade.

Instrumentos de emancipação e o ócio criativo

Não é só o trabalho em si, mas o jeito de se trabalhar que está mudando. O teletrabalho é uma realidade tecnologicamente definitiva, em vias de se tornar também economicamente significativa. O setor de serviços responde hoje por 70% da economia. Isto implica novos arranjos empresariais, novas configurações.

O déficit educacional e a dificuldade da empregabilidade em massa são “covalentes”, por analogia às ligações químicas onde moléculas distintas compartilham elétrons em comum. O modelo de sociedade voltado para a educação em massa é estratégia eficaz para os dois problemas. Ênfase no trabalho intelectual, em detrimento de querer salvar apenas os trabalhos mecânicos, o que De Masi (2000) chama de saber utilizar o “ócio criativo” para algo útil.

dimensao_social_do_trabalhoToda essa crise dos empregos na indústria, que se agrava com a automatização, ainda será em benefício das pessoas se soubermos como povo, como coletividade, aproveitar o que o momento sinaliza.

Sociopatologias do trabalho

– parlamentar que aprova o próprio aumento salarial (bestas-feras da política);
– as fraudes e os espertalhões (o erário público, esse desconhecido);
– a corrupção e os corruptores (a antiética do colarinho branco).

4- Dimensão psicológica do trabalho

Muito pensam que a motivação para exercer um trabalho vem da recompensa financeira, do ganho material. Há pessoas que se sentem valorizadas pelo tanto que recebem no fim do mês. O famoso contra-cheque ainda faz muitos “poderosos” sentirem-se melhores que os demais.

A hora da mudança

O sinal de que você é bem sucedido é estar bem adaptado, e não endinheirado. Por outro lado, o melhor indicador de que está precisando de novas oportunidades ou reciclagens é a motivação. Se você está encalhado, em subnível ou se depois de 5 anos exercendo a mesma atividade você se sente saturado, já é bastante provável que seja hora de mudar.

dimensao_psicologica_do_trabalho

Se você um legítimo sapiens — homo sapiens — então o que faz da sua vida tem que ter aprendizados. Significa que trabalho e aprendizado, trabalho e novos conhecimentos e principalmente, trabalho e oportunidade de crescimento pessoal tem que caminhar juntos, ok?

Empregabilidade

As vagas ociosas no mundo do trabalho e nas agências de RH indicam que o bonde da história está passando. A relação patrão – empregado é assimétrica porque o ponto de vista do patrão é exigir um trabalhador qualificado, sendo que a realidade do trabalhador é a luta para qualificar-se por si mesmo, a despeito da baixa qualidade escolar e das parcas condições financeiras e de tempo para uma educação permanente.

Qualquer profissional que assume para si o desafio de qualificar-se, será bem visto e lembrado por patrões que valham a pena. Se seu patrão não segue esse princípio como regra, está na hora de reconsiderar o emprego.

Psicopatologias do trabalho

– o viciado em trabalho (o workaholic clássico) trabalha mais de 10 horas por dia;
– o viciado em embromar (o subnível crônico ignora o tempo de se reciclar!);
– as patologias da liderança (o melhor líder é o que dá exemplos).


Fontes:

Trabalho e emprego – conceitos distintos

Déficit de profissionais de tecnologia se aprofunda no País

Déficit no segmento de tecnologia cresce cerca de 20% ao ano no Brasil

Deficit da indústria que produz bens tecnológicos chega a US$ 93,4 bilhões

Indústria perde espaço e Serviços já são quase 70% do PIB

Importância do Setor Terciário

Para aprofundar:

Autores que analisam as mudanças em curso: Chiavenato, De Masi, Dejours, Levy, Meira e Rifkins são alguns deles.

Alexandre Mello

digital por formação │ pós-graduado em educação a distância │ curador de acervo audiovisual │ produtor executivo │ documentarista │ autor │ conteudista

Buscar